Metalurgente. Uma marca, uma história

Era início da década de 90. O país ainda vivia os transtornos pela eleição de Collor de Mello e seu plano econômico. As entidades s i n d i c a i s p r a t i c a m e n t e amarradas. Afora isto, sempre tive uma postura carinhosa em relação à categoria metalúrgica, pois foi com os metalúrgicos do ABC (A=Santo André), (B=São Bernardo), (C=São C a e t a n o ) e h o j e e m d i a A B C D (D=Diadema) que se realizaram as grandes manifestações de criação de s i n d i c a t o s v e r d a d e i r a m e n t e representantes de sua categoria. Neste contexto, fui convidado a assessorar o processo de formação de uma chapa de oposição ao sindicato dos metalúrgicos de Ponta Grossa, já em 1992. E o primeiro passo, foi criar um nome para esta chapa. Pois bem, é a matéria METAL prima desses trabalhadores , METALÚGICOS que, acima de tudo, são , e que GENTE exigiam mudanças na estrutura, URGENTES organização e direção sindical. Da confluência destas palavras surgiu a marca . Digo marca pois METALURGENTE hoje é a palavra que com mais facilidade é reconhecido o Sindicato dos Metalúrgicos de Ponta Grossa e quiçá se mantenha dia a dia na busca de seus ideais originários.

Marcos “black” Fontinelli O autor é jornalista e foi assessor do Sindicato até o ano de 2004